11 Nov 2008


















As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.










As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.


Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.

As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.
As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.




As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.












As artes plásticas são imagens construídas pelo homem pelo simples acto de expressar os seus sentimentos, ajudam a desprendermo-nos das coisas do mundo, de contrariarmos a forma de ser dominante da nossa sociedade e que nos entala dia após dia.
O aparecimento das artes plásticas está directamente relacionado com a evolução da espécie humana e aqui surge como um complemento da palavra e também como a própria palavra assumindo o seu papel de linguagem universal.

Não ignorando os feitos do passado e métodos tradicionais, cada vez mais, existe um empenho de encontrar o equivalente visual da vida e do pensamento contemporâneo. Mais do que qualquer outra época, o século XXI apresenta um universo de estilos e de abordagens da arte sem precedentes.
Nas últimas décadas assistiu-se a uma rápida profusão de invenções, descobertas, revoluções políticas e tecnológicas.
Também o mundo da arte alterou-se radicalmente, tornou-se mais internacional, os artistas experimentam novos suportes e criam uma interacção entre eles, como: as colagens; objectos ready-made; as instalações e as site-specific; o vídeo e o uso de computadores.
O desenvolvimento da tecnologia digital encaminhou-se para o centro da prática da arte, o que teve um grande impacto na maioria das áreas relacionadas com a arte.
O emprego de computadores pessoais é uma ferramenta indispensável e um recurso inestimável para uma grande parte dos novos artistas.
Criou-se então uma forma inovadora de abordar a arte que, como contemporânea, acompanha as revoluções hodiernas e alarga o campo de acção e acessibilidade fora dos modelos tradicionais das galerias e museus. Uma nova Babel nasceu e nela gastamos tempo diário das nossas vidas, com o uso da Internet, a Babel do séc. XXI, cada vez mais assistimos e contribuímos para uma sociedade híbrida e multicultural.

As artes plásticas são talvez o formulário de expressão da linguagem mais acessível à larga escala dos povos, assim será este o meu foco principal porque através dele e da utilização da Internet consigo fazer um cruzamento entre arte, cultura, sociedade e quotidiano.

Escrever sobre o mundo da arte não é tarefa fácil mesmo para os mais eruditos se pretendermos que a informação e a expressão atinjam o seu total dimensionamento sem a possibilidade de duplos sentidos.

Esta secção será uma viagem no tempo, sem complicações de termos técnicos, apenas esquissos, fragmentos de vidas e de momentos, pequenas coisas, simples, diárias e que todos temos em comum.



4 comments:

Å®t Øf £övë said...

Ruela,
O efeito está fantástico como sempre, mas impossível de ler... mas também não era para ler, pois não???

:)

Abraço.

C.J.Duffy said...

I love it when you re-visit previous works of yours and then 'update' then to include the GIF style art.

Fantástico!

Ruela said...

art
tens que ser muito rápido ;)

Ruela said...

thanks Cj.


Obrigado.